Agenda Transformação Digital de Cabo Verde

A visão de Cabo Verde como um Centro das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), preconizada pelo Governo desta IX Legislatura, visa contribuir para a diversificação econômica e alavancar tecnologias digitais articulado no PEDS para o período 2018-2030.

A economia digital é considerada crucial para o alcance dos objetivos mais amplos estabelecidos no Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) para setores como saúde, educação, transporte e um acelerador eficaz no setor de turismo. O PEDS inclui três pilares estratégicos para alcançar a visão de um Hub ICT: Conectividade; Desenvolvimento de Capacidades e Plataforma de Serviços.

Neste âmbito o Governo aprovou a Agenda Cabo Verde Digital, elaborada com base numa nova visão nacional para a banda larga e que aposta no dividendo digital e nos complementos analógicos

Esta Agenda Digital visa contribuir para a transformação do país num Centro digital para acelerar a economia digital, por meio de uma infraestrutura digital aprimorada, da demanda reforçada de serviços e habilidades digitais para melhorar a competitividade.

A execução desta agenda é cofinanciada pelos fundos do Banco Mundial, no valor de 30 milhões de dólares, durante 5 anos, e está estruturada em quatro grandes pilares. O primeiro refere-se aos “fundamentos e reformas do ecossistema digital” (US $ 6 milhões), que prevê as seguintes componentes: Política, regulamentos e governança digital de TIC prospectivas (US $ 1 milhão); Pré-requisitos digitais dignos de confiança: segurança cibernética e governança de dados (US $ 2 milhões); Capacitação de funcionários do governo (US $ 0,5 milhão); Apoio na implementação da reestruturação do NOSI (US $ 1,5 milhão); e Inovação - Liberação de frequências e criação de sandboxes de regulamentos (US $ 1 milhão).

O “aprimorando a conectividade digital “(US $ 10 milhões) é o segundo grande pilar da Agenda Cabo Verde Digital, em que serão materializadas as seguintes componentes: acelerando a implantação 5G (US $ 2 milhões); Habilidades digitais para a força de trabalho futura (WebLab 2) (US $ 5 milhões); e Compra de capacidade para educação digital (US $ 3 milhões).

“Cabo Verde como Plataforma Digital” (US $ 12 milhões), é o terceiro pilar, e está segmentada nas seguintes componentes: aprimorando o mercado digital de serviços governamentais (US $ 9 milhões); Porta de dados neutra (fluxo de dados transfronteiriço) para monetizar a capacidade da nuvem (US $ 1 milhão); e Ecossistema de Inovação de Cabo Verde (US $ 2 milhões).

Por último, tem-se o pilar “Gerenciamento de Projetos” (US $ 2 milhões), cujo desembolso está previsto para mês de maio de 2020.

De referir que, enquadrado na estratégia desta Agenda Digital, o Governo criou as Zonas Económicas Especiais para Tecnologias (ZEET), que situar-se-ão no Parque Tecnológico de Cabo Verde, incluindo os polos e zonas contíguas do “Castelon Vale” na Praia e do “Julion Vale” em Mindelo.

O projeto do Parque Tecnológico de Cabo Verde está atualmente em construção prevendo-se a sua conclusão em meados de 2020. Está avaliado em cerca de 35 milhões de Euros, financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), mais uma contrapartida do Estado de Cabo Verde em cerca 4 milhões de Euros.

Comporta a construção de centros de negócios, de incubação, de certificação e formação, edifício administrativo, auditório cívico, Data Center, com pólos na Praia e em Mindelo.

 

Documentos para consulta:

1. Entregáveis da Governação Digital-Plano de Acão 2020

2. Casa Cidadão Entregáveis 2020

3.  UTIC- Ministério das Finanças Entregáveis 2020

 

Informações adicionais

http://estrategiadigital.gov.cv/index.php/pt/

http://www.techpark.cv/

https://www.techpark.cv/techpark-overview/

http://weblab.gov.cv/

https://akademia.nosi.cv/